Maria Monforte
Passado dos Monforte


E  s o u b e r am- s e   h o r r o r e s .  O  p a p á  Mo n f o r t e   e r a   d o s  Aç o r e s ;
muito moço, uma facada numa rixa, um cadáver a uma esquina
tinham-no forçado a fugir a bordo de um brigue americano. Tempos
depois um certo Silva, procurador da Casa de Taveira, que o conhecera nos Açores, estando na Havana a estudar a cultura do tabaco
que os Taveiras queriam implantar nas Ilhas encontrara lá o Monforte (que verdadeiramente se chamava Forte) rondando pelo cais,
d e   c h i n e l a s   d e   e s p a r t o ,   à   p r o c u r a   d e   e m b a r q u e   p a r a   a   N o v a
Orleães. Aqui havia uma treva na história do Monforte. Parece que
servira algum tempo de feitor numa plantação da Virgínia... Enfim,
quando  reapareceu à  face dos   céus ,   comandava o br igue Nova
Linda, e levava cargas de pretos para o Brasil, para a Havana e
para a Nova Orleães.
(Pág. 21)
Home page